outubro 18, 2016

A VIDA DE ESCRITORA #1: CONTE SUA PRÓPRIA HISTÓRIA

A VIDA DE ESCRITORA #1: CONTE SUA PRÓPRIA HISTÓRIA

Estou certa que toda mente criativa com uma conta no Instagram conhece as hashtags da Darling Magazine.

Eu as tenho na ponta dos dedos: #thatsdarling, #darlingmovement e #darlingdaily ou #darlingweekend. Escolha uma ou use todas. Eu uso todas, rs.

No entanto, eu nunca havia aberto a Darling. Mas eu decidi fazer isso, e eu estou muito feliz com a minha iniciativa de descobrir do que eu estou fazendo parte. Eu mergulhei em conteúdo de muita qualidade, do tipo que você pode ler um bocado de posts de uma vez só e ainda se senti capaz de ir além.

Primeiro, eu li a missão da Darling, e eu simplesmente me identifiquei, pessoalmente e profissionalmente, para não dizer hobbiemente ou whispermente... Eu achei as palavras que estão presentes no "mission statement" que eu escrevi quando decidi que o Whisper seria mais que um blog, e sim uma brand, preparando o solo para que essa sementinha pudesse crescer.

Eu vou colocar o link aqui, para que você possa ver a tipografia maravilhosa que fizeram, mas vou traduzir para aqueles que precisam de uma pequena ajuda com o inglês:

Darling é... a arte de ser mulher. A Darling Magazine possui o molde moderno da mulher refinada no fogo para produzir uma discussão sobre feminilidade e redefinir o design autêntico. Darling e uma catalisadora da mudança positiva; liderando mulheres a descobrir beleza fora da arrogância, influência fora da manipulação, estilo fora do materialismo, doçura fora da passividade, e unidade sem degradação. Darling leva as mulheres a praticar a arte da virtude, do humor, da modéstia e da sabedoria tudo enquanto criamos beleza e encorpamos amor. Darling diz que as mulheres não são apenas interessantes, mas originais, não somente boas o bastante, mas excepcional não apenas aqui, mas aqui com um propósito.”
Muito amor...


Mais do que isso, mais do que me identificado com a Darling Magazine, eu encontrei algo que estive orando sobre: aconselhamento sobre escrita.

Pois, o que começou como apenas uma coisa que me fazia feliz eu posso escrever por horas , se tornou em uma aventura liderada pelo Espírito Santo, fazendo meu coração desejar crescer nessa vocação que o Pai me presenteou.

Enfim, eu li um dos artigos da Darling, este aqui. E, nesse artigo, Ashley Abramson, uma das escritoras da revista, aconselha as leitoras que desejam escrever a começar com journaling, o que eu compararia a escrever no seu diário. Assim, para nos ajudar a escrever nossa própria história, ela faz algumas perguntas para podermos meditar sobre a nossa jornada, ou mesmo sobre o que devemos escrever. O que deveria ficar para mim mesma, mas, como um bom e velho blog pessoal, tendo como tema principal estilo de vida, eu quero compartilhar as perguntas neste artigo. E, quem sabe, encorajar você a respondê-las.

Eu vou começar traduzindo uma das minhas partes favoritas do artigo, e logo depois eu listo as perguntas para vocês. Vou tentar ser breve.

“O processo pode se tornar bagunçado, mas não é essa a natureza de todo trabalho que muda o mundo?”

1. Escreva uma dissertação com sua missão de vida.
“Vocação é onde nossa maior satisfação encontra a maior necessidade do mundo.” Frederick Buechner
  • O que faz a sua alma satisfeita?
  • Quais necessidades você percebe a sua volta?
  • Pense como as duas coisas podem se relacionar. Pode conectar ambas propositalmente para servir àqueles que ama, seus vizinhos, ou sua cidade?
Ela diz para escrevermos uma dissertação com as respostas, e então usá-la como um filtro para quando tivermos que tomar decisões.

2. Não é mais fácil para outros.

  • O que você idealiza na sua vida?
  • O progresso que você vem planejando, quando você fizer isso acontecer, você finalmente conseguirá?
  • Quais dificuldades isso pode adicionar a sua vida?
Então, ela recomenda que escrevamos uma nota pessoal, de forma que aconselhemos a nós mesmas, sendo honestas sobre as dificuldades e lembrando-nos de valorizar o lugar onde estamos.


3. Raiz e fruto.

Ashley aponta que toda a ação é resultado de uma crença – algo que  você acredita ser real ou verdade –, como um fruto que nasce de uma raiz invisível por debaixo a terra.
  • Faça uma lista de alguns frutos que podem ser visto na sua vida agora – comportamento ou emoções aparentes.
  • Agora, procure pela raiz por de traz dessas emoções e ações. Desenhe se precisar.
  • Como você pode arrancar as coisas que crê tais quais causam certos comportamentos indesejáveis, e que nova crença você deseja colocar em seus lugares?

4. Ame a si mesma.

  • Escreva abaixo uma área da sua vida você possui insegurança – aquilo que você esconde de outros com medo de ser julgado ou mal-entendido.
Logo,
  • escreva uma carta para aqueles que você tem medo de te julgarem dizendo a eles o que estão perdendo quando preferem enxergar apenas seus defeitos – ela exemplifica falando sobre seu corpo, que sempre foi insegura sobre ele. Mas foi este que deu à luz e sustentou seu filho.
Traga àquilo que sempre escondeu a revelação de uma nova perspectiva.

5. Se a sua vida fosse uma carta, o que diria?

Bom, eu amei muito essa parte porque o Novo Testamento é feito de cartas, basicamente. E Paulo diz:
Vocês demonstram que são uma carta de Cristo, resultado do nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo; não em tábuas de pedra, mas em tábuas de corações humanos.” 2 Coríntios 3:3 NVI

Sendo assim, Ashley comenta que aquilo que nós falamos ou fazemos cria a realidade de outra pessoa. Ela ilustra com quando está muito ansiosa termina por roubar o trabalhoso estado de esperança de outro, ou quando está insatisfeita com seu corpo, ela supõe que talvez o corpo de outras não seja suficientemente bom também.

  • Qual mensagem você passa para as outras pessoas com a maneira que você vive? Como você pode mudar a história.

fotos via Pinterest


Você sente que esta fazendo algo que a aproxime do seu propósito? Se não, o que você pode fazer hoje para mudar isso?

C'est tout,

S. x

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blog Design by Kotryna Bass Design